.posts recentes

. Biblioteca-Museu

. Ensino Superior. Ranking

.arquivos

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Outubro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Segunda-feira, 26 de Agosto de 2019

Biblioteca-Museu

BIBLIOTECA MUSEU.jpg

A Biblioteca Museu foi um conceito de biblioteca que entrou em Portugal por via do iluminismo, um período de mudança de mentalidades. Um tempo de grandes transformações. As colecções de livros já não se circunscreviam apenas ás livrarias conventuais e monásticas. Desde os séculos XII e XIII que se vêm a constituir muitas bibliotecas privadas. É o tempo do desenvolvimento comercial e dos mesteres tão necessários à navegação marítima. Crescimento das cidades. E a necessidade de letrados para os registos, os contratos, as traduções necessárias ao desenvolvimento comercial e económico das cidades. Os letrados da época, designados por clérigos não eram já formados exclusivamente nos colégios episcopais. Formavam-se agora nas Universidades. Pagas pelos burgueses das cidades e pelos nobres que a elas acorriam. Chamavam até si Mestres, a quem pagavam para os ensinar, e com eles formar corporação e ter direitos próprios.

No século XVIII as reformas da Universidade de Coimbra e do ensino tendem ainda mais à secularização da educação. No plano científico verificamos a fundação da Real Academia de História (1720), a fundação do Real Colégio dos Nobres (1761), a formação da Imprensa Régia (1772), a lei relativa à organização do ensino primário (1772) e, finalmente, a fundação da Academia Real das Ciências (1779). Foi instituída a formação profissional dirigida a comerciantes e técnicos industriais, com a instituição da Aula de Comércio, em 1759, uma das primeiras na Europa.

As mudanças no pensamento, na ciência e educação acompanharam a mudança de conceito de Biblioteca, que irá passar gradualmente da esfera privada para a esfera pública. A Real Biblioteca Pública da Corte , em 1836, passará a ser Biblioteca Nacional de Lisboa.

Há duas figuras centrais neste desenvolvimento do conceito de biblioteca. Foram Frei Manuel do Cenáculo e António Ribeiro dos Santos .

Por volta de 1779 havia em Portugal duas mil quatrocentas e vinte (2420) bibliotecas particulares, das quais novecentas e trinta e cinco (935) pertenciam ao clero. (Guedes, 1987). Mais de duas centenas (221) eram bibliotecas de pessoas com formação jurídica, onde a preferência, para além dos livros de direito, incidia sobre monografias e obras de literatura, história e religião. Nas cento e vinte e seis (126) bibliotecas de médicos, além dos livros de natureza médica, os gostos estavam ordenados por literatura, religião e história, áreas disciplinares preferenciais ao tempo.

Tal como refere Pereira (2006), em finais do século XVIII, surge a ideia de criar em

Portugal uma biblioteca de carácter público na Corte. Ideia que provinha dos tempos de

Pombal e de Frei Manuel do Cenáculo. O acervo será constituído pelos livros da Real

Mesa Censória que Cenáculo enriqueceu e com a doação e incorporação de outros fundos.

Vaz (2006) faz salientar que no espírito de Frei Manuel do Cenáculo presidia

a ideia de que as bibliotecas só fariam sentido se abertas ao público, tendo-se insurgido

contra os coleccionadores que trancavam os livros.

Paralelamente, é importante referir que a imagem de biblioteca permanece associada a

museu. Nela encontramos outras espécies que não apenas os livros, como se nota na

descrição de Pereira (2006), ao referir a existência de medalhas, numa versão

correspondente à concepção de biblioteca partilhada por Cenáculo.

Segundo Brigola (2006) terão influenciado esta concepção de Biblioteca-Museu,

mormente o cardeal Ângelo Maria Querini (1680-1755), bispo de Brescia, fundador e

doador de uma Biblioteca-Museu (1750), com quem Cenáculo se encontrou em Roma(1750); assim  como Tommaso Campanella, com a obra intitulada Civitas solis vel de republicae idea (A Cidade do Sol), publicada em 1602.

Durante ainda muito tempo foi-se mantendo a concepção de biblioteca-museu, paralelamente ao conceito de biblioteca pública considerada a servir um público erudito conforme aos ideais iluministas.

Poucos anos depois, com a revolução liberal, os conventos e mosteiros foram extintos e foi com os fundos das livrarias conventuais que se formaram as primeiras bibliotecas públicas em Portugal.

Odiernamente o conceito de biblioteca pública é radicalmente diferente. Mantem-se no entanto a necessidade da preservação dos fundos antigos patrimoniais em bibliotecas especificamente concebidas a esse fim.

Das bibliotecas-museu, não restam mais que estes espaços de memória. Deixaram de fazer sentido.



Bibliografia:

Brigola, João Carlos (2006) – “Frei Manuel do Cenáculo – Semeador de Bibliotecas e

de Museus. O conceito de Biblioteca-Museu na Museologia Setecentista”, in: Vaz,

Francisco A. Lourenço e Calixto, José António, Frei Manuel do Cenáculo, Construtor

de Bibliotecas, Casal de Cambra: Caleidoscópio, pp. 47-53.

Pereira, José Esteves (2006) – “Ribeiro dos Santos, Cenáculo e a criação da Real

Biblioteca Pública”, in: Vaz, Francisco A. Lourenço e Calixto, José António, Frei

Manuel do Cenáculo, Construtor de Bibliotecas, Casal de Cambra: Caleidoscópio, pp. 11-21.

Regedor, A. Borges Regedor (2014) - Bibliotecas, Informação e Cidadania. Políticas Bibliotecárias em Portugal. Séculos XIX-XX p. 43-49

Vaz, Francisco António Lourenço (2006) – “A Fundação da Biblioteca Pública de

Évora”, in: Vaz, Francisco A. Lourenço e Calixto, José António, Frei Manuel do

Cenáculo, Construtor de Bibliotecas, Casal de Cambra: Caleidoscópio, pp. 5-9.

 

 

António Borges Regedor

 

publicado por antonio.regedor às 12:12
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 20 de Novembro de 2017

Ensino Superior. Ranking

banner_superior2.png

 

Avaliação de Instituições de Ensino Superior  no ranking  “SIR IBER 2017”

A Revista Internacional de Información y comunicación publica um  “Ranking Iberoamericano de Instituciones de Educación Superior 2017”.  É o “SIR IBER 2017 SCImago Institutions Rankings”.  O  “El SCImago Institutions Rankings de Iberoamérica (SIR IBER)” é uma classificação, entre outras, das Instituições de Ensino Superior, baseada na sua produção científica  durante os  cinco anos anteriores.

Dados da Unesco de 2015 referem que o conhecimento científico mundial produz cerca de dois milhões de trabalhos científicos.

A avaliação da actividade científica apoiada em métodos bibliométricos  tem sido considerada e aceite até ao momento pela comunidade científica. 

Tem sido este modelo de avaliação da produção científica a base para a tomada de decisões e de financiamento.

A detecção de algumas limitações a este paradigma,  fruto da transferência da visibilidade  também da actividade científica para o espaço da WEB,   tem originado a sua ruptura no sentido de se terem vindo a adicionar outros tipos de medições.  Não se produziu ainda uma ruptura Popperiana , mas não se  tendo abandonado ainda o anterior paradigma estamos em nítida mudança. O paradigma anterior não comporta todas as alterações que a WEB pressiona.   

As próprias bases de dados  dão-se  conta disso, e simultâneamente são agentes de mudança.

No caso da SCImago Research Group, desde 2009 desenvolve a SCImago Institutions Rankings (SIR) como ferramenta de análise da avaliação de instituições de produção científica.  Este Ranking SIR publica dois grupos. O SIR World para a actividade científicamundial, e o SIR IBER para a actividade científica de Espanha, Portugal e países da América latina. Este ranking classifica as instituições de ensino superior  do mundo iberoamericano que tenham publicado pelo menos um trabalho em revistas científicas indexadas na Scopus durante os cinco anos anteriores.

Factores de medição:

Investigación – indicador obtido a partir das publicações na  Scopus.  Constitui 50% para o indicador do ranking.

Innovación – capacidade da instituição  desenvolver patentesa fonte deste indicdor é Patstat3. Constitui 30% para o indicador do ranking.

Impacto Social  - Examina os esquemas de publicação na WEB. As  fontes são  o Google e  a Ahrefs4.  Constitui 20% para o cálculo do ranking. 

Em 2017 havia um total de 1 607 organizações quepublicaram em revistas indexadas na Scopus. O mundo iberoamericano representa 21,7% deste universo.

Enquanto que 65% das instituições se concentram em cinco países, : Brasil (28%), México (18%); Colombia (9%), Argentina (6%) y Perú (4%), a produção científica concentra-se em Espanha(37%) e no  Brasil (27%).

Bibliografia

Bornmann, Lutz (2017). Measuring impact in research evaluations: a thorough discussion of methods for, effects of and problems with impact measurements.

Moed, Henk F. (2009). New developments in the use of citation analysis in research evaluation. Archivum Immunologiae et Therapiae Experimentalis, 57, 13. https://doi.org/10.1007/s00005-009-0001-5

UNESCO. (2015). Research Evaluation Metrics. http://unesdoc.unesco.org/Ulis/cgibin/ulis.pl?catno=232210&set=00580A04D3_0_61&gp=0&lin=1&ll=1 Van Raan, Anthony F. (2004). Measuring Science.

Waltman, Ludo (2016). A review of the literature on citation impact indicators. Journal of Informetrics, 10(2), 365-391.

Wilsdon, James; Allen, Liz; Belfiore, Eleonora; Campbell, Philip; Curry, Stephen; Hill, Steven; Johnson, Ben (July, 8th 2015). Metric Tide - Higher Education Funding Council for England. The Metric Tide: Report of the Independent Review of the Role of Metrics in Research Assessment and Management: https://doi.org/10.13140/RG.2.1.4929.1363 http://www.hefce.ac.uk/pubs/rereports/year/2015/metrictide

 

http://www.elprofesionaldelainformacion.com/index.html

 

Lista das Instituições de ensino superior portuguesas do ranking  SIR IBER 2017

1 Universidade de Sao Paulo

2  Em Portugal 1 Universidade de Lisboa

6 Em Portugal 2 Universidade do Porto

23 Em Portugal 3 Universidade de Coimbra

26 Em Portugal 4 Universidade de Aveiro

27 Em Portugal 5 Universidade do Minho

30 Em Portugal 6 Universidade Nova de Lisboa

99 Em Portugal 7 Universidade de Tras-os-Montes e Alto Douro

101 Em Portugal 8 Universidade da Beira Interior

103 Em Portugal 9 Universidade do Algarve

116 Em Portugal 10 Instituto Politecnico do Porto

128 Em Portugal 11 Universidade de Evora

131 Em Portugal 12 ISCTE Instituto Universitario de Lisboa

155 Em Portugal 13 Instituto Politecnico de Lisboa

165 Em Portugal 14 Universidade Catolica Portuguesa

177 Em Portugal 15 Instituto Politecnico de Coimbra

193 Em Portugal 16 Instituto Politecnico de Braganca

197 Em Portugal 17 Universidade dos Acores

204 Em Portugal 18 Instituto Politecnico de Leiria

212 Em Portugal 19 Universidade da Madeira

232 Em Portugal 20 Instituto Politecnico de Setubal

233 Em Portugal 21 Universidade Lusofona de Humanidades e Tecnologias

247 Em Portugal 22 Universidade Fernando Pessoa

272 Em Portugal 23 Cooperativa de Ensino Superior, Politecnico e Universitario

277 Em Portugal 24 Instituto Politecnico de Viseu

288 Em Portugal 25 Instituto Superior de Psicologia Aplicada

289 Em Portugal 26 Universidade Aberta

321 Em Portugal 27 Instituto Politecnico de Viana do Castelo

328 Em Portugal 28 Instituto Politecnico do Cavado e do Ave

332 Em Porrtugal 29 Instituto Politecnico de Castelo Branco

381 Em Portugal 30 Instituto Superior da Maia

394 Em  Portugal  31 Nova School of Business and Economics

397 Em Portugal 32 Instituto Politecnico de Tomar

415 Em Portugal 33 Egas Moniz Cooperativa de Ensino Superior

430 Em Portugal 34 Universidade Lusiada

433 Em Portugal 35 Instituto Politecnico de Santarem

446 Em Portugal 36 Instituto Piaget - Cooperativa para o Desenvolvimento Humano, Integral e Ecológico, CRL P

450 Em Portugal 37 Instituto Politecnico da Guarda

459 Em Portugal 38 Instituto Politecnico de Beja

463 Em Portugal 39 Universidade Europeia

474 Em Portugal 40 Instituto Politecnico de Portalegre

501 Em Portugal 41 Universidade Portucalense Infante D. Henrique

513 Em Portugal 42 Escola Universitaria Vasco da Gama

513 Em Portugal 42 Universidade Lusofona do Porto

529 Em Portugal 44 Escola superior de Enfermagem do Porto

530 Em Portugal 45 Academia Militar PRT

533 Em Portugal 46 Universidade Autonoma de Lisboa

540 Em Portugal 47 Universidade Atlantica

553 Em Portugal 48 Instituto Superior Dom Afonso III

553 Em Portugal 48 Instituto Superior Miguel Torga

556 Em Portugal 49 Escola Superior de Enfermagem de Lisboa

566 Em Portugal 52 Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril

567 Em Portugal 53 Instituto Superior de Ciencias Educativas

577 Em Portugal 55 Escola Superior de Saude de

577 Em Portugal 55 Escola Universitaria das Artes de Coimbra

578 Em Portugal 56 Escola Superior de Educacao Joao de Deus

579 Em Portugal 57 Escola Superior de Artes e Design

579 Em Portugal 57 Instituto Superior de Gestao

579 Em Portugal 57 Instituto Superior de Linguas e Administracao, Leiria

579 Em Portugal 57 Instituto Superior de Saude do Alto Ave

580 Em Portugal 58 Escola Superior Artistica do Porto

580 Em Portugal 58 Escola Superior de Educacao de Paula Frassinetti

580 Em Portugal 58 Instituto de Estudos Superiores de Fafe

580 Em Portugal 58 Instituto Superior Politecnico Gaya

582 Em Portugal 59 Instituto Portugues de Administracao e Marketing, Lisboa

 582 Em Portugal 59 Instituto Superior Bissaya Barreto

http://www.elprofesionaldelainformacion.com/index.html

 

publicado por antonio.regedor às 17:50
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30

.tags

. todas as tags

.favorito

. Elle foi à Pharmacia

. Tanto tempo e tão pouco ...

. Rebooting Public Librarie...

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds