.posts recentes

. Tertuliano

. Livros proibidos

. Uma Enciclopédia no Ind...

.arquivos

. Agosto 2020

. Julho 2020

. Junho 2020

. Maio 2020

. Abril 2020

. Março 2020

. Fevereiro 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Outubro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Segunda-feira, 18 de Maio de 2020

Tertuliano

tertuliano.jpg

Deixa-me ver se ainda me lembro alguma coisa de Tertuliano.

Quintus Septimius Florens Tertullianus. Este cidadão romano nasceu no norte de África, em Cartago, viveu entre cerca de 160 e 220.

É um apologeta cristão que afirma a filosofia como mãe de todas as heresias.

O tema da heresia é , à época, a principal disputa e preocupação dos diversos grupos de cristãos. Nestes primeiros tempos do cristianismo todos se revêm na figura de Cristo, mas a dispersão dos grupos e os relatos e escritos a que têm acesso são diversos, variados e o corpo teórico e teológico ainda não está naturalmente consolidado. Naturalmente há muitas diferenças, interpretações a acusações mútuas de heresia. Nessa construção doutrinária há “os livros universalmente considerados sagrados, como os evangelhos de Lucas, Mateus, Marcos e João, que são lidos na liturgia; os livros que não reúnem o consenso universal, mas que são lidos , como o apocalípse de Pedro; outros... e finalmente os textos a rejeitar porque são heréticos, como os de Basilides (século II) ou dos marcionistas.” Eco 2010 : 129. De referir que os marcionistas eram também cristãos, e que o próprio Tertuliano que abraçou teses designadas “ montanismo”, tinha esta corrente pontos de contacto com o “marcionismo”.

Estávamos ainda longe do ano de 360 em que se realiza o Sínodo de Laodiceia que no artigo 59 proíbe a leitura de textos não canónicos nas igrejas. A lista dos 27 livros do novo testamento é confirmada no “Sínodo de Hipona (393) e no Sínodo de Cartago (397)” Eco, 2010: 129 . Curiosamente numa das primeiras listas index de livros a não incluir nos canónicos “são também enumeradas as obras de Tertuliano” Eco 2010: 130

Tertuliano é um crítico do Estoicismo, que como sabemos enforma o pensamento do Estado Romano clássico  e que segundo Manzanera  foi com o estoicismo que “la filosofia se convertió en religión”  (Manzanera Salavert 2011: 37)  

Há ainda outros aspectos do pensamento de Tertúliano, nomeadamente a questão Mariológica, mas que poderá ficar para outra vez.

 

Eco, Humberto- Idade Média: Bárbaros, Cristãos e Muçulmanos. Alfragide: D. Quixote. 2010

 

Manzanera Salavert , Miguel – El Periplo de la Razón: El racionalismo Musulman en la Edad Media. Sevilla: Fénix Editora. 2011.

publicado por antonio.regedor às 13:03
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 3 de Julho de 2017

Livros proibidos

convento_mafra.jpg

Para dar abertura à notícia  cultural:  “A biblioteca dos livros proibidos”, publicado a 02.07.2017 às 16h30.  No jornal expresso,  as palavras de Valdemar Cruz  são:  “diz-se estar na posse da biblioteca do Palácio de Mafra a maior coleção de livros proibidos pela Inquisição”.

A notícia cultural, nada tem a ver com a Biblioteca do Convento de Mafra, mas sim com uma instalação  feita com  livros em algum momento proibidos.

Acontece que a colecção da biblioteca do convento de Mafra não era  o depósito das obras proibidas em Portugal (apenas estava autorizada, por bula Papal de 1754,  a incluir no seu acervo livros proibidos pelo index) e é de duvidar que o número de exemplares de obras inscritas no index seja superior a muitas outras instituições no estrangeiro e até em Portugal.   

Obviamente  que a maior colecção de livros censurados estará certamente no Arquivo Secreto do Vaticano. Já que era a igreja católica de Roma a  analisar e a decidir se o livro tinha as autorizações para publicação ou passava a figurar no index.

No caso de o  autor só se referir a Portugal,  há também a dizer  que a  biblioteca da Real Mesa Censória criada em 1768 (o mosteiro de Mafra apenas iniciou a sua construção em 1717 e a basílica consagrada em 1730) visou transferir da igreja para  o controlo directo do Estado a censura de todas as publicações em matéria religiosa, política e civil.  Será de inferir que é esta  colecção a mais extensa em matéria de livros proibidos, já que os analisava a todos. Esta colecção seria  integrada na actual Biblioteca Nacional.

António Regedor

 

Fonte: http://expresso.sapo.pt/cultura/2017-07-02-A-biblioteca-dos-livros-proibidos

 

 

 

publicado por antonio.regedor às 19:23
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 29 de Setembro de 2016

Uma Enciclopédia no Index

5781608-M.jpg

“A verdade é que ali estava naquela manhã, na biblioteca da Real Academia Espanhola – ocupo o cadeirão da letra T há doze anos - , parado diante da obra que compendiava a maior aventura intelectual do século XVIII: o triunfo da razão e do progresso sobre as forçs obscuras do mundo então conhecido. Uma exposição sistemática em 72 000 artigos, 16 500 páginas e 17 milhões de palavras  que continha as ideias mais revolucionárias do seu tempo, que chegou a ser condenada pela Igreja  católica e cujos autores e editores se viram ameaçados com a prisão e a morte. Interroguei-me como é que aquela obra, que durante tanto tempo  estivera no Índiced de livros proibidos, tinha chegado ali. ... Estendi as mãos, peguei num deles e abri-o na folha de rosto: Encyclopédie, ou dictionnaire raisonné rdes sciences, des arts et des métiers, par une societé de gens de lettres. Tome premier. MDCCLI. Avec approbation et privilege du roy.” (p.12)

Pérez-Reverte, Arturo – Homens Bons. Alfragide: Asa, 2016

publicado por antonio.regedor às 12:03
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags

.favorito

. Elle foi à Pharmacia

. Tanto tempo e tão pouco ...

. Rebooting Public Librarie...

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds