.posts recentes

. Pós-graduação em Gestão d...

. LINHA DO VOUGA

. Torrente Ballester

. O Bibliotecário

. O tempo entre costuras

. Elle foi à Pharmacia

. IMPRENSA

. Palavras enganadoras e ma...

. Enfraquecimento do poder ...

. Poema

.arquivos

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Outubro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Segunda-feira, 12 de Agosto de 2019

Praias do Azibo

IMG-4772.JPG

 

As praias fluviais, juntamente com os passadiços, são actualmete formas, diferentes e muito agradáveis, alternativas ao clássico litoral.

As praias do Azibo são frequentemente apontadas como exemplo de belas e bem tratadas praias fluviais. É verdade. O Concelho de Macedo de Cavaleiros é atravessado pelo Rio Sabor e pelo Rio Azibo. Uma barragem neste rio, permitiu uma albufeira que é um enorme e belo espelho de água. E como todas as albufeiras são potenciais espaços de lazer, nesta estão construídas duas praias fluviais de grande qualidade. Literalmente encostadas a Macedo de Cavaleiros, as praias têm espaços arborizados, com relva e com areia. Água limpa e vários equipamentos de apoio balnear. Segurança com várias zonas vigiadas para banhos, extensão suficiente para se estar confortável. A acrescentar à Praia fluvial do Azibo há agora uma mais recente. A praia da Fraga da Pegada. Aqui há um restaurante de muito boa qualidade. Merece a visita e merece conhecer a história local.

Macedo de Cavaleiros na Idade Média estava enquadrado nas terras de Bragança e Lampaças. Terras pertencentes à família Bragança. Uma das cinco famílias mais poderosas do Reino segundo Mattoso em Ricos-Homens infanções e cavaleiros: a nobreza medieval portuguesa nos séculos XI e XII.

  1. Afonso III preocupou-se no seu reinado com a administração Régia, o início da formação do Estado, mandando fazer inquirições, determinando o que era Régio, Feudal ou pertença da Igreja. Tais iniciativas implicaram a perda de poder feudal e o reforço da Casa Real pelo controlo da administração, da justiça e cobrança de impostos.

Vários Reis fora concedendo forais, ou seja, constituindo Concelhos por estas terras que no século XII se dividiam entre Terras de Lampaças e Terras de Ledra.

Das trinta freguesias que constituem actualmente o Concelho, muitas já foram elas próprias Concelho, por lhes ter sido concedido Foral. Estão neste grupo a Freguesia de Arcas com rascunho de Carta de Foral no século XV; Chacim que recebeu Foral de D. João I em 1400 e posteriormente Manuelino em 1514. É deste Concelho Medieval Nuno Martins que foi Aio de D. Dinis; Cortiços que teve Foral de D. Afonso IV em 1331 e de D. Manuel em 1517; Sezulfe que recebeu Foral de D. Dinis em 1302 e depois com D. Manuel em 1514; Vale de Prados com Foral de D. Dinis em 1287; e no século XV rascunho de Carta de Foral para Vilarinho de Agrochão. Conservam o Pelourinho, símbolo do Concelho Medieval, os antigos Concelhos de Chacim(1514), Vale de Prados(1287), Nozelos(1284) e Pinhovelo(1302).

O Concelho de Macedo de Cavaleiros é criado pela Reforma Administrativa de 1853 e assimilou estas antigas divisões administrativas. Na vida tudo é dinâmico e esta terra no Nordeste Transmontano tem vindo a encontrar a sua dinâmica. Há cerca de vinte anos abraçou o ensino superior. Hoje sem a economia assente no ensino terá no turismo de natureza uma outra oportunidade.

 

António Borges Regedor

publicado por antonio.regedor às 12:28
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.tags

. todas as tags

.favorito

. Tanto tempo e tão pouco ...

. Rebooting Public Librarie...

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds