.posts recentes

. Dois Papas

. Sentimento de impunidade

. A insegurança de viver em...

. Mudar a cidade

. BIBLIOTECA DE GAIA

. Árvores, para que vos que...

. 2050 a catástrofe anuncia...

. Mudanças climáticas

. Ainda a  GRETA

. Biblioteca de Santa Mari...

.arquivos

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Outubro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Quinta-feira, 12 de Janeiro de 2012

...

 

  • Ex-aluno de Pós-graduação em Ciências da Informação e da Documentação  da Universidade Fernando Pessoa, coloca em banca o seu trabalho de vários anos de reflexão cívica.

Sai do prelo o livro “Manifestos contra o medo. Antologia de uma intervenção cívica” da autoria de Luís Norberto Lourenço.

Luís Norberto Lourenço é professor, Licenciado em História e  Pós- graduado em Ciências da Informação e da Documentação pela Universidade Fernando Pessoa

 

Luís Norberto Lourenço combina a formação em História, com economia e Ciências da Informação e da Documentação.

O laicismo é o garante do respeito que nutre pela diversidade de crenças, pensamento e opções de cada um.

Esse respeito que tem pelas opiniões dos outros confere-lhe o direito de ter opinião que procura ser  ponderada, maturada e de bom senso.

Reparte as suas reflexões pelas questões da democracia, da cidadania, da política e da cultura.

Na democracia podemos vê-lo a falar da história democrática, do acto de votar, da contingência das escolhas e opções. Na política encontramo-lo a olhar os partidos com o conhecimento do interior e o distanciamento que o cientista social deve ter na observação distanciada, não se deixando enredar no subjectivismo para criticar com maior clareza e objectividade.  Na cultura, constatamos a sua autoridade nas questões do ensino, das bibliotecas, dos museus e arquivos. Na cidadania não se limita ao comentário, mas também o vemos engajado. Não se limita a participar, mas vai mais além, na acção de organizar, promover, incentivar, impulsionar.

Combina o pensamento, a palavra e a escrita tanto nas questões nacionais como nas locais.

Não se limita a ver o Mundo, mas também a reflecti-lo, para o transformar.

Não se fica pela critica, mas procura também oferecer a proposta.

É um cidadão que não se limita a ser actor social, mas também autor da vida que preenche com a razão.

publicado por antonio.regedor às 17:32
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags

.favorito

. Elle foi à Pharmacia

. Tanto tempo e tão pouco ...

. Rebooting Public Librarie...

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds