.posts recentes

. Mudança de paradigma ener...

. País de marinheiros

. Autocarros eléctricos

. Os loucos da Rua Mazur

. Informação e Bibliotecári...

. círculos uninominais

. Educado para ser Rei

. Desassoreamento volta a c...

. O virar de página

. Livreiro tradicional em e...

.arquivos

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Outubro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Segunda-feira, 30 de Junho de 2008

AS DIMENSÕES DO POEMA

 

 

 

 

 

 

A primeira dimensão do poema é a da sua escrita. A fase em que mais se aproximará da sua idealização. Na escrita o autor terá uma forma diferente de  representação do poema. É ainda uma dimensão pessoal do poema. E tudo ficaria por esta relação pessoal do criador com a criatura se a publicação não lhe viesse acrescentar uma segunda dimensão. A dimensão pública, a da participação, divulgação destinada à partilha com os demais. Nesta dimensão o poema ganha a diversidade da subjectividade. Cada leitor com a sua interpretação, leitura, tradução, diferenciação. E nesta dimensão o leitor confronta-se com a diferença da sonoridade do poema lido silenciosamente e dessa forma pensado, com o poema lido em voz alta marcado pela expressão física da voz. O poema corporizado. Diferente ainda quando o leitor experiência por meios tecnológicos de reprodução ouvir a sua própria leitura e se depara com um terceiro poema. O terceiro do mesmo.  Sensações distintas  do mesmo.

A outra dimensão, não sei se a última, é a do poema dito. Dito para uma plateia. Dito de um para outros. Dito e ouvido. E o poema aqui, reparte-se e parte-se ainda mais. Entra no domínio da inter-subjectividade. O confronto das diferenças do mesmo poema, dito por sujeitos diferentes.

Que perturbação para o autor que pensou um poema e se vê na inevitabilidade da diversidade que não buscou, mas que recebeu em reflexo como se de um espelho partido se tratasse.

 

 

 

tags: ,
publicado por antonio.regedor às 01:44
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.tags

. todas as tags

.favorito

. Tanto tempo e tão pouco ...

. Rebooting Public Librarie...

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds