.posts recentes

. Futebol

. Salomão em viagem

. Manuel Resende

. 15 anos a blogar

. Dois Papas

. Sentimento de impunidade

. A insegurança de viver em...

. Mudar a cidade

. BIBLIOTECA DE GAIA

. Árvores, para que vos que...

.arquivos

. Fevereiro 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Outubro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Segunda-feira, 19 de Setembro de 2005

Livro para ainfância

Helena Miranda escreve no Jornal de Letras sobre livrarias infantis.
O artigo está neste local
http://visaoonline.clix.pt/default.asp?CpContentId=327777
O sitio da livraria referida no artigo é:
www.lerparacrer.com

Vale a pena ler. Tem ideias para os empreendedores.

Permite-nos relacionar o desenvolvimento dos espaços de bibliotecas para a infância nos programas de bibliotecas públicas, o desenvolvimento do hábito de compra de livros para a infância a par dos restantes brinquedos por alturas de natal e de aniversários, a normalidade que poderá ser a oferta de um livro quando se visita a casa de alguém que tem filhos pequenos, a normalidade de existência de livros junto dos brinquedos da criança e como essa normalidade pode ser decisiva nos hábitos de leitura e de consumo de livros futuros. O crescimento do mercado de livros para crianças e a oportunidasdde de negócio editorial e livreiro que esta compreensão pode constituir.

Citações do artigo de Helena Miranda para o JL:
“No início de 2004, Catarina Magro e Mafalda Borges Coelho puseram mãos à obra para realizarem um velho sonho: a criação de uma livraria infantil. Para o efeito, contactaram o administrador da livraria Ler Devagar de Lisboa, que lhes propôs uma parceria, convidando-as a ocuparem uma área dentro do seu próprio espaço. Foi assim que nasceu a Ler Para Querer. A pensada e organizada selecção de livros infantis, as almofadas, os pufs, e a boa luz cativaram o público infantil, que já é assíduo, principalmente ao fim da tarde e aos fins-de-semana. As quartas-feiras são os dias de maior afluência, por causa do Aqui há História!, uma sessão de leitura de contos.

A dramatização, os ateliers de animação da leitura e as conferências ou acções de formação para adultos, são outras das actividades levadas a cabo na Ler Para Querer. A livraria dispõe também de um site na internet (www.lerparacrer.com), onde se pode encontrar a programação detalhada de todos os eventos.

No Porto, a Salta Folhinhas, localizada na zona do Campo Alegre, completa esta semana o seu primeiro aniversário. Teresa Cunha tornou-se a responsável pelo projecto.

Numa semana normal, é às segundas-feiras, por volta das 17h30, que decorre a hora do conto. E pelo menos uma vez por mês, aos sábados, há um teatro de fantoches ou uma dramatização baseada num conto. As festas de anos são também prática corrente na Salta Folhinhas. O tema é escolhido pelo aniversariante, e Teresa Cunha e a sua equipa organizam actividades em conformidade com a opção da criança. «O objectivo é que os livros sejam um meio para se divertirem.


A Salta Folhinhas organiza também oficinas de escrita e de ilustração, que decorrem com mais incidência durante as férias.”
publicado por antonio.regedor às 12:32
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29

.tags

. todas as tags

.favorito

. Elle foi à Pharmacia

. Tanto tempo e tão pouco ...

. Rebooting Public Librarie...

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds