.posts recentes

. Natureza, Trilhos e Passa...

. Perigo Nuclear a 400 quil...

. Ética e comunicação

. Faleceu Carlos Ruiz Zafón

. Derrube de estátuas a cop...

. A qualidade do mercado li...

. Passadiços em meio rural

. São Bento da Avé Maria

. Do Porto ao Pinhão a pens...

. Cidades impermeáveis

.arquivos

. Julho 2020

. Junho 2020

. Maio 2020

. Abril 2020

. Março 2020

. Fevereiro 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Outubro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Segunda-feira, 11 de Maio de 2020

A Pressão da praia.

IMG_20190817_180813.jpg

Como nas outras situações, tais como uso de equipamentos de protecção, utilização de espaços públicos, restaurantes, entre outros, a Direcção Geral de Saúde terá de emitir normas orientadoras do melhor uso da praia em período balnear.
A Norma, terá de ser da Direcção Geral de Saúde, que tem conhecimento científico para o fazer, não de qualquer outra voz interessada ou de um qualquer autarca a pensar com os pés na areia como já se ouviu.
São já vários meses em contexto de pandemia, várias semanas em confinamento e em diversas restrições à vida social. A maior capacitação do Serviço Nacional de Saúde, o abrandamento na progressão da infecção e especialmente o bom tempo e cansaço de estar confinado são um enorme factor de pressão para o uso tradicional da praia.
Mas como a pandemia não terminou, os comportamentos em praia deverão ter essa realidade presente e condicionadora. É natural e necessário reflectir em que condições o uso da praia não prejudicará o esforço de contenção da pandemia.
Desde logo é necessário ter em conta que a grande apetência pela praia decorre da vantagem para o exercício físico e também para o bem estar psicológico.
É importante conhecer os riscos que a praia possa comportar, nomeadamente os riscos de aglomeração. Não parece sensato querer concentrar todos os veraneantes nas praias concessionadas. Conhecemos a realidade e sabemos que a maior parte das pessoas nem se posiciona nesse tipo de praia. Desde logo por serem poucas, pequenas e estarem lotadas. A maioria está fora delas.
Sendo que a recomendação é a de afastamento e que o comportamento dos cidadãos tem dado na sua esmagadora maioria prova de responsabilidade nesse cumprimento, também aqui no uso da praia o princípio deve ser esse. E isso implica que os veraneantes utilizem as praias com menos aglomeração, o mais afastados possível, o que terá necessariamente de comportar a maioria da paria que não é concessionada.
O que se deve pedir é que não se abrande o afastamento social, que não se façam grupos e que mesmo nos membros da família haja cuidados devidos. Deve continuar a pedir-se responsabilidade social e defesa da saúde de todos.
Sendo que parece ser consensual o poder caminhar na praia, e o praticar desporto, não se entende a proibição de apanhar sol numa toalha com afastamento social. Há mais contacto no jogo de bola do que estar numa toalha. Gostaria de ver a explicação científica para o maior risco de apanhar sol numa toalha de praia. Se a razão for apenas a de acautelar a tendência para a permanência, e se querer pela mobilidade reduzir a permanência, então terão de proibir as zonas de permanência fixa nas praias concessionadas. Será bom que a regra seja clara e cientificamente alicerçada.
Ainda não há directiva da Direcção Geral de Saúde, e já pelo menos um autarca em bicos de pés anunciou a atitude autoritária e repressiva de colocar grades e drones a vigiar. É um indivíduo já conhecido por tendências securitárias e de contornos fora da lei com intervenção tida já noutra ocasião.
Seria mau se esta questão menor, viesse estragar a paz social existente num período tão difícil e que demonstrou enorme maturidade cívica.
 
António Borges Regedor
publicado por antonio.regedor às 19:12
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags

.favorito

. Elle foi à Pharmacia

. Tanto tempo e tão pouco ...

. Rebooting Public Librarie...

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds