.posts recentes

. INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS ...

. Concentração dos media

. Dia Mundial da Língua Por...

. Dependência dos equipamen...

. Autoprodução e autoconsum...

. Liderança

. saposdoano

. Economia da bicicleta

. Vida do Grande D. Quixote...

. Energia, o retorno

.arquivos

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Outubro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Quarta-feira, 31 de Julho de 2019

Aumento da Leitura Digital

1563212282_704245_1564167329_noticia_normal_recort

A Leitura Digital aumenta significativamente em Espanha.

Um mail de Enrique Navas Benito do grupo INFODOC que subscrevo levou-me a um artigo do El País assinado por Peio H. Riaño que dá conta de uma medida do governo espanhol de 2014 que com a “eBiblio” passou a emprestar livros digitais através das bibliotecas públicas.

O resultado foi o incremento de leitores todos os anos. Só no último ano foi registado o aumento foi de 101,4 %.

O serviço de empréstimo está acessível 24 horas por dia, 365 dias por ano e empresta livros, audiolivros, jornais e revistas. Apenas precisa de estar ligado à internet e ter um cartão de utilizador da biblioteca pública local.

A oferta de leitura digital é também entendida como uma forma de reduzir a pirataria e garantir direitos de autor. O que se compreende. Ninguém precisa de piratear se o produto estiver disponível de forma legal e de fácil acesso e gratuito.

É ainda interessante referir que a Federação do Grémio de Editores de Espanha regista uma maior venda de livros digitais em ensaio do que em ficção.

 

Fonte:  https://elpais.com/cultura/2019/07/15/actualidad/1563212282_704245.html

publicado por antonio.regedor às 12:47
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 24 de Julho de 2019

Enquanto a comunicação social martela nos incêndios.

naom_5b10ff94d6b90.jpg

 
Tempo quente, muito vento. Abriu a época dos incêndios. Como se fosse a caça ou a pesca, ou a mudança de casa para o Algarve. Fica tudo para trás. O jornalismo de sarjeta deixa tudo para se dedicar a jornalismo de agulheta. E é ver a rapaziada dos recibos verdes a ficar ofuscada pelo vermelho fogo e a não ver mais nada que o escuro do fumo onde se embrenham na ânsia de ocultar o país. País onde realmente os cidadãos continuam a trabalhar, a produzir riqueza e a acontecer coisas boas. E só não aparecem as boas notícias porque interesses ocultos as querem ocultar com o fumo dos incêndios.
Hoje, quarta-feira, dia 24 a Agência de Gestão da Tesouraria e Dívida Pública (IGCP), trocou 797 Milhões de euros de obrigações do tesouro. Este ano já trocou 2.858 Milhões de dívida pública. Deste modo alarga os prazos de maturidade, baixa os picos de pagamentos e beneficia de taxas de juro mais baixas, aproveitando a oportunidade do mercado estar com mínimos históricos. A taxa média para emissão de dívida desceu para 1,4%. As obrigações do tesouro a 10 anos estão a 0, 43%. (fonte: Jornal de negócios e economia online).
No entanto a comunicação social comprometida com os projectos anti-sociais de rapina do país, continua a martelar no inferno dos incêndios criminosamente ateados pelas forças do terrorismo.
 
António Regedor
publicado por antonio.regedor às 11:22
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 5 de Julho de 2019

Dos BRIC aos RIC

3928618-political-map-of-eurasia.jpg

 
A designação foi referida pela primeira vez, em 2001 por um economista do banco Goldman Sachs, para se referir ao significativo crescimento das economias do Brasil, Rússia, Índia e China.
Correspondia a uma parte significativa da população mundial, da economia mundial e cada vez mais uma entidade forte nas áreas da economia, comércio internacional, ciência, saúde, educação, segurança, e obviamente financeira, diplomática e política.
Formava-se um novo bloco geo-estratégico com 25% da área terrestre e 40% da população mundial. Um grupo político de fazer tremer a potência dominante da 2ª guerra.
Já não bastava aos Estados Unidos o bloco da União Europeia. Este relativamente controlado e onde a acção desestabilizadora dos USA se faz permanentemente através do fomento de conflitos na Europa, ou à sua volta, de modo a manter a União Europeia ocupada no seu interior. Capturada desde a segunda guerra muidial. Submissa e a pagar tributo á grande potência americana.
O grupo chegou a integrar a África do Sul. O Banco Goldman Cachs estimou que até 2050 as economias BRIC podiam superar as economias dos países mais ricos do mundo. Mas perante o novo grupo de interesses e a possibilidade do seu crescimento e influência, os Estados Unidos trataram de o minar. Começaram pelo que lhes está mais próximo e onde tradicionalmente mantêm influência e poder. Conseguiram tirar o Brasil da influência do grupo BRIC.
Com o Brasil perdido e capturado pela influência dos estados unidos, realizou-se recentemente em Osaca uma cimeira entre Rússia, Índia e China. Foram acordadas posições quanto ao comércio mundial e a formas de pagamento sem utilização do dólar, a questões militares também. Estamos agora em presença do grupo RIC.
 
António Borges Regedor
 
 
publicado por antonio.regedor às 12:07
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 4 de Julho de 2019

Copiar os Nazis

verachtung parlamento europeu.jpg

Os deputados do partido do brexit  viraram as costas ao Parlamento Europeu, repetindo o mesmo que os deputados do partido nazi fizeram no Bundstag, o parlamento alemão. Em ambos os casos é o desprezo pela democracia, pelo parlamento como espaço da representação democrática.  Sabiam o que estavam a fazer e o que isso significa. Se no acto houve ignorância, também é grave que sejam estes ignorantes  a representar os interesses dos eleitores.
 
O dirigente deste partido é Nigel Farage, um indivíduo  que em muito se assemelha ao Trump e que com ele partilha ideias neoliberais, antidemocráticas e perigosas.
 
Os Estados Unidos da América têm sistematicamente tomado posições que prejudicam a Europa, que criam focos de tensão e de instabilidade,  e que procura apoiar dentro da Europa um conjunto de países contra a união e de inspiração totalitária.  (Desde a interferência no Kosovo e Ukrania, à permanente instabilidade no Báltico e colocação de bases entre a Europa e a Rússia,  até as posições de comércio e embargos comerciais). Steve Banon um dos ideólogos do trumpismo tenta criar na Europa um grupo de partidos de extrema-direita que seja o embrião da destruição da Europa  de paz,  solidariedade e desenvolvimento.  Nigel Farage é o testa de ferro  de trump na Europa e o seu partido o seu instrumento.     
 
As forças que criaram o brexit são opositoras da Europa e fazem o jogo do poder económico concorrente. A Europa continua refém dos Estados Unidos e praticamente obrigada a pagar-lhes um tributo de 2% do seu PIB em compra de armamento.
 
Há quem queira na Inglaterra e na Europa do grupo Italiano de Salvino mais o de Visegrado ser o Cavalo de Tróia de interesses do neoliberalismo, do fascismo, e contra a Paz, Democracia,  Solidariedade e Desenvolvimento Económico da Europa, da Comunidade Europeia e do Euro.
 
António  Borges Regedor
publicado por antonio.regedor às 16:03
link do post | comentar | ver comentários (21) | favorito
Terça-feira, 2 de Julho de 2019

Os países de Visegrado

Visegrado.jpg

Os países de Visegrado são uma organização com origem no século XIV. Surgiram por interesse em assegurar rotas comerciais. O mundo dá muitas voltas, e acabaram no século XX sob influência da URSS. Poderão ter muita queixa, e raiva, da URSS, mas esta já não existe. Passaram totalmente para uma outra influência mantendo a postura oportunista da sua génese. Desde 1991 fizeram lobby para entrar para a União Europeia, não por espírito de construção europeu, de solidariedade, de paz e de bem estar social, mas apenas para aproveitar a oportunidade de receber os euros com que a europa a mando dos estados unidos os quis comprar. Nem tinham espírito de construção europeia, nem democracias consolidadas, nem desenvolvimento económico e social para contribuir para o projecto europeu, seja lá qual for. Apenas os motivou os oportunismos de rapina. São hoje governados por partidos da extrema direita, partidos xenófobos, autoritários, socialmente agressivos e antieuropeistas. São hoje o elemento mais activo da destruição da europa.
publicado por antonio.regedor às 20:15
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags

.favorito

. Elle foi à Pharmacia

. Tanto tempo e tão pouco ...

. Rebooting Public Librarie...

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds