.posts recentes

. Relógio D`água-editores L...

. Livros. Àgua. Terrorist...

. Blogs de livros e de auto...

. CIÊNCIA E ISLÃO

. LIVROS E CINEMA DE ANIMAÇ...

. Os livros ainda têm valor

. BIBLIOTECAS ITINERANTES

.arquivos

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Outubro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Quarta-feira, 9 de Agosto de 2017

Relógio D`água-editores Lda

images.jpg

 

Habituei-me a ver Francisco Vale como um criterioso editor.  Conheci-o muito antes de ele vir a ser editor. E lia muito. E escrevia muito e muito rápido. Talvez não tão rápido como o pensamento, mas por lá perto.  Quando já editor,  no circulo de amigos dizia-se que Francisco  Vale só editava o que lia, e que considerava bom.  Assim se constróii a confiança no que é editado. O catálogo  da sua editora  é disso testemunha.  200 páginas com a abrir com  a citação  «Penso que o livro é uma das possibilidades de felicidade concedida aos homens.» J. L. Borges, O Livro.

Na Ficção Portuguesa  tem obras de Hélia Correia, Gonçalo M. Tavares, Agustina Bessa-Luís,  na ficção estrangeira, autores como  Vladimir Nabokov, Virginia Woolf,  F. Scott Fitzgerald,  Stefan Zweig,  Boris Vian.   A Poesia  tem por exemplo Fiama Hasse Pais Brandão. Nos clássicos há  Mário de Sá-Carneiro,  Jorge de Sena,  Fernando Pessoa,  Raul Brandão,  Vitorino Nemésio, José Cardoso Pires. Nos estrangeiros encontramos  Oscar Wilde,  Franz Kafka,  Rainer Maria Rilke,  Lev Tolstói,  Fiódor Dostoievski,  Goethe, Hannah Arendt,  Umberto Eco.  Na  Filosofia há  Peter Sloterdijk,  Slavoj Žižek,  Nietzsche,  José Gil,  Sigmund Freud.  Na  Ciência tem Konrad Lorenz,  Charles Darwin,  Oliver Sacks,  Rómulo de Carvalho.  Tem também bibliografia de Medicina, Arquitectura, Desporto, Economia. E não lhe falta o digital.    

http://relogiodagua.pt/

 

António Regedor

publicado por antonio.regedor às 17:20
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 25 de Junho de 2017

Livros. Àgua. Terroristas.

FICHEIRO A SEPARAR 089.jpg

 

 

E a provar que com os livros, ficamos a saber mais, até dos segredos de foruns onde se fala da morte dos livros e da morte da  liberdade.

Noticia o  jornal expresso: “Umberto Eco, falecido em fevereiro do ano passado, fez esta afirmação numa conversa com o argumentista e encenador francês Jean-Claude Carrière, moderada pelo jornalista e escritor Jean-Philippe de Tonnac, editada este mês pela Gradiva, sob o título "Umberto Eco-Jean-Claude Carrière. Não contem com o fim dos livros", numa tradução de Joana Chaves.”

E a propósito do fim dos livros ficamos  também a saber que nesse mesmo forum de Davos se falou da água e da sua privatização. Bem sabemos  que é assunto preferido de grandes multinacionais. Oum dos presidentes da Néstlé teve mesmo o descaramento de dizer grosso modo que a água devia de ser para quem a pudesse pagar.  Quando ouvimos estas coisas ficamos com a certeza que os Daesh económicos existem e os Daesh religiosos são seus instrumentos.

Fonte:  http://expresso.sapo.pt/cultura/2017-06-25-A-ultima-conversa-de-Umberto-Eco-Nao-contem-com-o-fim-dos-livros

 

 

publicado por antonio.regedor às 15:37
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 11 de Outubro de 2016

Blogs de livros e de autores que me seguem

transferir.jpg

 When A Book Knocks At Your Door...

é um blog biling mas predominantemente em Inglês

http://whenabookknocksatyourdoor.blogs.sapo.pt/

 

Gene de traça

que fala de livros, e relaciona estes com o  cinema e televisão.

E de Ken Follett o autor de “Os Pilares da Terra”

http://genedetraca.blogs.sapo.pt/

 

publicado por antonio.regedor às 11:40
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Terça-feira, 26 de Fevereiro de 2008

CIÊNCIA E ISLÃO


 

 

Bagdad foi o maior centro de investigação científica no sec. IX

Até ao sec. XII O Islão foi líder na investigação científica.

 

Em 2002 O Relatório da ONU indicava que em todo o Mundo Árabe foram traduzidos cerca de 330 livros num ano. Um quinto dos traduzidos na Grécia.

 

Enquanto a Europa esteve submetida ao pensamento unitário do Cristianismo e os apologetas cristãos diziam que “a Filosofia era a mãe de todas as heresias”, segundo Tertuliano, davam espaço para o mundo oriental,  Persa e Árabe, acolher, ler, traduzir a cultura e conhecimento helénico e a partir daí e de outras fontes desenvolver a filosofia, a ciência, a medicina. Foram os Árabes já Islamizados que fizeram chegar à Europa os algarismos e com eles o zero. Deram a conhecer e venderam em exclusivo durante muito tempo o papel que trouxeram do oriente( Bagdad chegou a ser o maior mercado mundial de papel)

O declínio só pode ser explicado com os mecanismos ditatoriais do pensamento único imposto pela religião.

A ciência explica a religião. A religião não explica a ciência.

A laicidade dá oportunidade ao conhecimento. A religião impõe a ignorância.

O conhecimento está na pluralidade dos livros. A ignorância no livro único.

publicado por antonio.regedor às 23:06
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Terça-feira, 5 de Junho de 2007

LIVROS E CINEMA DE ANIMAÇÃO




Desta vez o post, pretende referir a ligação dos livros com  o cinema de animação.

Dar a conhecer a Casa da Animação e o trabalho que aí se faz.

 

Mais informação em: www.casa-da-animacao.pt

 

Julgo interessante que nos serviços de referência esta pagina Web esteja presente
publicado por antonio.regedor às 01:48
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 25 de Maio de 2007

Os livros ainda têm valor


 

Quem o garante são os assaltantes da biblioteca de Humpata, em Angola, onde roubaram 50 dos 500 cexistentes nesta biblioteca e que servia uma população estudantil de cerca de 10 540 alunos.

 

Fonte: http://biblioinfor.blogspot.com/  a partir da AngolaPress

publicado por antonio.regedor às 01:57
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 17 de Maio de 2007

BIBLIOTECAS ITINERANTES









Muitos de nós ainda têm a imagem das carrinhas bibliotecas itinerantes que percorriam o país a emprestar livros.

Foi para muitos o primeiro e único contacto, mais ou menos livre, com os livros.

Hoje as itinerantes têm missões diferentes. A de complementar as redes concelhias de bibliotecas de leitura pública. A de articular as bibliotecas de leitura pública com as redes concelhias de bibliotecas escolares. A de apoiar a biblioteca de leitura pública a realizar eventos fora do edifício central, em locais ou zonas habitacionais onde ainda não existam infraestruturas de leitura pública. A de articular a biblioteca com as colectividades e associações locais. A de levar o livro a casa dos que não se podem deslocar à biblioteca ou aos seus pólos por razões de mobilidade.

 

A carrinha da imagem, foi a última que a Fundação Calouste Gulbenkian entregou a uma Biblioteca de Leitura Pública antes do seu  Serviço de Bibliotecas e Apoio à Leitura (SBAL) ter encerrado.

Em Espinho, durante algum tempo, este serviço foi assegurado pela Josefina  e pela Carla, na imagem mostrando satisfação.

 

António Regedor

publicado por antonio.regedor às 01:40
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
14
15
18
19
20
21
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags

.favorito

. Tanto tempo e tão pouco ...

. Rebooting Public Librarie...

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds