.posts recentes

. Formación, investigación ...

. Dias da Investigação

. WORKSHOP EM CIÊNCIA DA IN...

. INSTRUMENTOS DE RECOLHA D...

.arquivos

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Outubro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Quarta-feira, 30 de Dezembro de 2015

Formación, investigación y mercado laboral en información y documentación en España y Portugal = Formação, investigação e mercado de trabalho em informação e documentação em Espanha e Portugal

AKCdAwAAQBAJ.jpg

Encontrando pedaços do meu trabalho académico

Neste livro com o artigo em co-autoria com Judite  Gonçalves de Freitas “a formação em Ciência da Informação: qualificação profissional e empregabilidade”. O caso da Universidade Fernando Pessoa – Porto pag. 487

 

Concentrate on one's main job, but what is the latter in the case of information professionals ? Global perspectives on the adequacy education-jobs-social needsEN Formación, investigación y mercado laboral en información y documentación en España y Portugal = Formação, investigação e mercado de trabalho em informação e documentação em Espanha e Portugal

Michel J. MENOU

Ediciones Universidad de Salamanca, May 22, 2014 - 37 pages

 

 

https://books.google.pt/books?id=AKCdAwAAQBAJ&dq=Ant%C3%B3nio+Borges+Regedor&source=gbs_navlinks_s

 

 

António Regedor

publicado por antonio.regedor às 18:13
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 11 de Março de 2015

Dias da Investigação

 

 

Research Days.jpg

 

Decorre de 11 a 13 de Março na Universidade Fernando Pessoa os “Dias da Investigação” onde serão apresentados 60 projectos de investigação.

 

http://gadi.ufp.pt/dias-da-investigacao-na-ufp-11-13-marco/?lang=en

 

publicado por antonio.regedor às 12:23
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 12 de Junho de 2012

WORKSHOP EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO 2012 - UNIVERSIDADE FERNANDO PESSOA


Sexta-feira,
Junho 01, 2012

 

DATA: 15 DE JUNHO DE 2012

 

Objetivos:

A realização do Workshop de
CI da UFP 2012 enquadra-se no âmbito das atividades desenvolvidas ao nível do
2º ciclo (Mestrado) em Ciências da Informação e da Documentação da Universidade
Fernando Pessoa. Constituem objetivos principais deste encontro a divulgação e
discussão de temáticas recentemente investigadas em áreas que se consideram de
grande importância como sejam a literacia, a visibilidade e o impacto da
biblioteca na comunidade, ou ainda o acesso à atividade de
professor-bibliotecário.

Visa-se igualmente a
divulgação junto dos técnicos da informação e do conhecimento de estudos
recentes nos domínios das bibliotecas escolares, públicas e universitárias.
Como objetivos complementares o presente encontro pretende discutir o trabalho
produzido por alguns dos mestrandos em CID e fomentar o diálogo entre docentes,
estudantes e profissionais que trabalham na área, debatendo problemas
levantados no decurso das investigações realizadas e concluídas com êxito,
comparando experiências de trabalho.

O Workshop de Ciência da
Informação 2012 reúne docentes e estudantes que frequentam ou frequentaram o 2º
ciclo de CID da UFP. O encontro destina-se também a todos os interessados e
estudiosos dos mais diversos temas e problemas da Ciência da Informação.

 

Programa

 

Abertura

15:00 -15:15

Diretora da Faculdade de
Ciências Humanas e Sociais da UFP – Prof.ª Doutora Inês Gomes

Coordenador do Departamento
de Ciências da Comunicação e Empresariais - Prof. Doutor Rui Estrada

Coordenadora de CID - Prof.ª
Doutora Judite Gonçalves de Freitas

 

1º tema - O
perfil das novas bibliotecas escolares, universitárias e públicas

15:20-15:40 - Ana Maria de
Sousa Rebelo - A Biblioteca Universitária: desafios e oportunidades para o
profissional da informação

15:40-16:00 - Raquel Maria
Gonçalves Vieira Cascaes - A profissionalização do professor-bibliotecário. As
Bibliotecas Escolares do concelho de Matosinhos. Estudo de caso

16:00-16:20 - Olga Mafalda da
Cruz Nunes - A Biblioteca Municipal João Brandão. Análise das representações
sociais dos utilizadores e impacto social. Estudo de caso.

16.20-17:00 - Discussão

17:00 -17:15 - Pausa para
café

 

2º tema -
Literacia da Informação e uso de novas tecnologias: algumas respostas

para um
«velho» problema

17:15-17:35 - Ricardo Manuel
Capela Martins - Literacia da Informação ou literacias da informação? Do ideal
ao real. Estudo de caso.

17:35-17:55 - Teresa Maria
Borges Cardoso - As Bibliotecas e as redes socais no digital - Quem usa e como
usa no Distrito de Aveiro.

17:55-18:15 - Discussão

18:10-18:30 - Encerramento

 

A
participação é gratuita mas sujeita a inscrição prévia. Para a formalizar aceda
a:

cgi@ufp.edu.pt

Comissão Organizadora:

Prof.ª Doutora Judite A.
Gonçalves de Freitas

Prof. Doutor Luís Borges
Gouveia

Dr. António Regedor

Divulgação:

Gabinete de Comunicação e Imagem da UFP

 

publicado por antonio.regedor às 15:56
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 2 de Maio de 2007

INSTRUMENTOS DE RECOLHA DE INFORMAÇÃO EM INVESTIGAÇÃO

Por lapso ao colocar este post  foi cometido o erro de copiar o rascunho e não o texto corrigido.

Dois comentários tiveram o mérito de fazer reparar o erro.

Ainda bem que houve leitores, comentários e os reparos.

Parece desta vez estar pronto.

Pedimos desculpa e que nos continuem a ler e a fazer comentários .

Obrigado.





INSTRUMENTOS DE RECOLHA DE INFORMAÇÃO EM INVESTIGAÇÃO

 

 

Quando estamos a efectuar uma investigação pode ocorrer dois tipos de erros: o erro de inferência estatística e o erro na recolha de informação.

É em relação e este  último que  me proponho fazer algumas recomendações.

A criação de um instrumento de recolha de informação deve ponderar, em primeiro lugar, o enquadramento no contexto do objecto de estudo pretendido.

 Seguidamente deve ter em consideração os seguintes requisitos:

  • Definir as partes do instrumento, sendo geralmente, na primeira  parte constituída por itens que incluem a caracterização dos inquiridos (idade, género, profissão, entre outros) e na segunda parte por itens relacionados com os objectivos do estudo;
  • Elaborar as questões de resposta condicionada ou livre;
  • Dividir as diferentes secções do questionário;
  • Informar relativamente ao procedimento de resposta;
  • Seleccionar as escalas para medir as atitudes dos inquiridos;
  • Garantir o anonimato das respostas, sempre que possível;
  • Colocar o principal objectivo do estudo e o respectivo organismo responsável;
  • Usar linguagem clara e acessível, tendo em consideração o contexto do estudo e o público –alvo;
  • Procurar realizar um instrumento pouco extenso, sempre que possível, devido à dificuldade  em sensibilizar as pessoas para responderam aos inquéritos.

 

No Cabeçalho do questionário:

 

  • Colocar o objectivo do estudo;
  • Colocar o nome do organismo ou agente responsável;
  • Agradecer ao inquirido por responder ao questionário. Por opção este agradecimento  também pode ser colocado no final.

 

As questões do questionário relativas ao objecto de estudo devem estar em coerência com as questões de investigação levantadas. Devem ser agrupadas por secções, de modo a criar em primeiro lugar uma ordem no instrumento e, ainda, facilitar a etapa da apresentação e discussão dos resultados.

 

 

Carla Coelho

publicado por antonio.regedor às 18:45
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.tags

. todas as tags

.favorito

. Tanto tempo e tão pouco ...

. Rebooting Public Librarie...

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds