.posts recentes

. Escritaria

. Financeirização do proces...

. Zafón - “O labirinto dos...

. sexta-feira 13

. PONTE DA MISARELA

. O tempo das bruxas

. Bazar

. Ecomuseo de Barroso Mont...

. Edição Científica. Pirata...

. Makerspaces

.arquivos

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Outubro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Segunda-feira, 30 de Junho de 2008

AS DIMENSÕES DO POEMA

 

 

 

 

 

 

A primeira dimensão do poema é a da sua escrita. A fase em que mais se aproximará da sua idealização. Na escrita o autor terá uma forma diferente de  representação do poema. É ainda uma dimensão pessoal do poema. E tudo ficaria por esta relação pessoal do criador com a criatura se a publicação não lhe viesse acrescentar uma segunda dimensão. A dimensão pública, a da participação, divulgação destinada à partilha com os demais. Nesta dimensão o poema ganha a diversidade da subjectividade. Cada leitor com a sua interpretação, leitura, tradução, diferenciação. E nesta dimensão o leitor confronta-se com a diferença da sonoridade do poema lido silenciosamente e dessa forma pensado, com o poema lido em voz alta marcado pela expressão física da voz. O poema corporizado. Diferente ainda quando o leitor experiência por meios tecnológicos de reprodução ouvir a sua própria leitura e se depara com um terceiro poema. O terceiro do mesmo.  Sensações distintas  do mesmo.

A outra dimensão, não sei se a última, é a do poema dito. Dito para uma plateia. Dito de um para outros. Dito e ouvido. E o poema aqui, reparte-se e parte-se ainda mais. Entra no domínio da inter-subjectividade. O confronto das diferenças do mesmo poema, dito por sujeitos diferentes.

Que perturbação para o autor que pensou um poema e se vê na inevitabilidade da diversidade que não buscou, mas que recebeu em reflexo como se de um espelho partido se tratasse.

 

 

 

tags: ,
publicado por antonio.regedor às 01:44
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 29 de Junho de 2008

RESPOSTA AOS COMENTÁRIOS

Agradeço ao Gaspar a atenção e os comentários. Estou de acordo. Na verdade os bibliotecários de leitura pública, ao contrário de bibliotecários de outros sistemas de informação, têm necessidade de uma preocupação especial com a promoção da leitura e da literatura. A este propósito agradeço o mote para mais um post que prometo fazer, se a preguiça não o impedir. O comentário da Cristina Mouta, dá também mote para outro post a propósito da multiplicidade de funções que uma biblioteca pública exige e que não poderão continuar a ser executadas por um único bibliotecário sob pena de falhar sempre alguma coisa. Também tentarei escrever sobre isso.
publicado por antonio.regedor às 20:07
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 27 de Junho de 2008

Licenciatura em Ciência da Informação e da Documentação

 

Já se encontram abertas as candidaturas à frequência na

 

Licenciatura em Ciência da Informação e da Documentação.

Na Universidade Fernando Pessoa

 

O funcionamento será em:

- Regime pós-laboral,

- Três dias da semana: Quartas; Quintas e Sextas das 18:00 às 22:00 horas;

- Duração da formação: 3 anos lectivos (6 semestres)

 

- Condições de acesso: para maiores de 23, contactar os serviços de secretaria ou CEFOC.

 

  Universidade Fernando Pessoa

  Telefone geral: 22 5071300

  Morada: Praça 9 de Abril, 349  4249-009 PORTO

 

 

 

Se aliarmos as condições favoráveis à frequência e a possibilidade que a lei confere aos maiores de 23 anos, será a oportunidade para pessoas que adquiriram competências nesta área ao longo de vários anos de trabalho, nomeadamente os técnicos profissionais, verem agora a possibilidade de obterem o grau académico de licenciado.

Por vezes a vida também nos reserva boas surpresas. Aproveitem.

 

publicado por antonio.regedor às 12:54
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 26 de Junho de 2008

POESIA AO LUAR

 

 

 

Aspecto agradável da biblioteca onde se realizou a sessão de poesia "ao luar".

Na imagens estão alguns elementos da equipa da biblioteca.

 

 

 

publicado por antonio.regedor às 01:52
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 21 de Junho de 2008

Bibliotecário e Bibliófilo

 

 

 

Há dias participei, por amável convite,  numa tertúlia poética organizada no Agrupamento de Escolas Domingos Capela. A realização foi na Biblioteca Escolar e da responsabilidade do Departamento de Línguas e da Equipa da Biblioteca. Encontrei-me em ambiente agradável e com  assinalável  participação. Não levava nenhum poema preparado para ler, mas no meio da participação generalizada foi-me feita a provocação em forma de pergunta. Que relação é que um bibliotecário tem com a leitura? Respondi instintivamente que pode não ter nenhuma. Não tem necessariamente que ter. O bibliotecário bibliófilo, guardador de livros, leitor de ficção desapareceu. Hoje o bibliotecário é gestor de informação. O livro já não é o único meio de informação e de formação. A organização que o bibliotecário dava à biblioteca que só tinha livros, é a organização que ele tem que fazer nos novos canais de informação. O bibliotecário tem agora que gerir as bibliotecas digitais e virtuais. Na internet tem que passar a gerir os conteúdos acessíveis em páginas Web, blogs, repositórios digitais, revistas e jornais digitais,  bibliotecas digitais e outras formas.

Assim a leitura de lazer e prazer, de ficção em prosa ou poesia é apenas uma pequena parte da imensa actividade que a biblioteca tem a desenvolver no actual ambiente digital da sociedade da informação e conhecimento. E neste contexto adverso ao suporte papel, são fundamentais as iniciativas de promoção da leitura como a que a Escola realizou.

E se repararmos bem, este encontro de pessoas para lerem, dizerem e ouvirem poesia, é uma necessidade actual de contrariar a sociedade solipsista e individualista da leitura pessoal em ecrã de computador e dos diálogos mediados pelos dedos tocando o teclado do computador.

As próprias bibliotecas mudaram. Nas bibliotecas de depósito patrimonial em que a sala dos livros era separada da sala de leitura, não seria possível reunir as pessoas junto dos livros por razões físicas. Só o seria na sala de leitura. O modelo moderno de biblioteca de livre acesso em que não há separação entre o livro e o leitor permite o magnífico ambiente conseguido na Biblioteca da Escola Domingos Capela. 

 

 

 

António Regedor

publicado por antonio.regedor às 01:12
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
14
15
18
19
20
21
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags

.favorito

. Tanto tempo e tão pouco ...

. Rebooting Public Librarie...

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds