.posts recentes

. Portugal e a Bicicleta

. Livros proibidos

. Livros. Àgua. Terrorist...

. Copos e livros

. Bibliotecárias a cavalo

. Desafios e mudanças nas b...

. “Irmãos de Armas”

. Pós-verdade e Michel Fouc...

. Após 60 anos . “sol de...

. 1974/24/0200

.arquivos

. Julho 2017

. Junho 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Outubro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Quinta-feira, 31 de Maio de 2007

RESCALDO DO III ENCONTRO CTDI WEB 2.0 NA CIENCIA DA INFORMAÇÃO





Na ESEIG
E no rescaldo do III Encontro CTDI e de tema WEB 2.0 e blogs
Duas estruturas
Ambas relacionadas com a água, para a encaminhar.
O Aqueduto para transportar água. A outra estrutura para abrigar da água.
Talvez abrigue mais do sol.
Mas ambas duas belas peças de engenharia, e de assinalável estética.
publicado por antonio.regedor às 00:40
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 30 de Maio de 2007

III Encontro CTDI - WEB 2.0




Realizou-se com sucesso o III Encontro do curso de Ciências e Tecnologias da Documentação e Informação (CTDI) da ESEIG.

Para ter a noção daquilo que se discutiu neste encontro não se pode deixar de consultar os blogs:

http://bib20.janjos.com/

http://www.vivabibliotecaviva.blogspot.com/

http://bibliotecarioanarquista.blogspot.com

http://ratodebiblioteca.blogspot.com/

http://abibliotecadejacinto.blogspot.com/

http://oeiras-a-ler.blogspot.com/2007/05/iii-ctdi.html

http://a-informacao.blogspot.com/

 

Todos os encontros que se realizam nesta área do conhecimento revestem neste momento enorme importância independentemente da sua temática e discussão se situar  mais ao nível cientifico e teórico ou escolar e informativo.

Em todos os casos representam vivacidade, dinamismo e interesse pela área que se estuda.

Indicam que se está atento às mudanças que se verificam na profissão e no perfil do profissional da informação.

Mostram que há reflexão teórica e prática nesta área de conhecimento científico.

Possibilitam o encontro a partilha de conhecimento e informação e a coesão profissional e social dos profissionais da área.

Há no entanto mais um passo que é necessário dar. O da visibilidade destas iniciativas que contribua também para a visibilidade da profissão e dos profissionais.

Esperemos que no futuro seja posta mais atenção ao marketing e divulgação destas iniciativas através dos media.

 




publicado por antonio.regedor às 23:27
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Segunda-feira, 28 de Maio de 2007

...



É já amanhã o

 

O III Encontro do curso de Ciências e Tecnologias da Documentação e Informação (CTDI) da ESEIG, subordinado ao tema “Web 2.0 na Ciência da Informação

 

 

O Tema deste III Encontro, Web 2.0,

 

 

No Programa estão previstas  3 Tele Conferências

 

Vamos já desde hoje preparar o dia de amanhã:

Avisar no trabalho que estaremos em serviço externo;

Avisar a família que não vamos almoçar em casa, e pode também acontecer que a discussão se prolongue e só regressemos após o jantar;

Levar um caderno com muitas folhas

Preparar desde já o próximo post no nosso blog

 



Não resisti a colocar esta foto que vi ni blog do Julio Anjos.
Ele que me perdõe, mas esta foto é o elhor cartaz deste encontro.


António Regedor
publicado por antonio.regedor às 14:55
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 25 de Maio de 2007

Os livros ainda têm valor


 

Quem o garante são os assaltantes da biblioteca de Humpata, em Angola, onde roubaram 50 dos 500 cexistentes nesta biblioteca e que servia uma população estudantil de cerca de 10 540 alunos.

 

Fonte: http://biblioinfor.blogspot.com/  a partir da AngolaPress

publicado por antonio.regedor às 01:57
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 24 de Maio de 2007

censura na net

É preocupante a tentativa de controlo da vida e do pensamento dos cidadãos.

A Internet quebrou o ponto único de emissão. Produziu uma ruptura no modelo de  emissor único para a totalidade da massa receptora. Este modelo surgiu no contexto histórico da sociedade industrial e de consumo de massas. Proporcionou a constituição dos monopólios e das multinacionais. Foi útil para a  formação do pensamento único.

Hoje, na sociedade da informação e do conhecimento a Internet proporciona a comunicação de todos para todos. Quebra o monopólio. Potencia a liberdade de expressão de pensamento e de opinião. É isso que faz vários governos tentar controlar a Internet. Um estudo da OpenNet Initiative denuncia casos de censura online em 25 países. As motivações políticas, os conflitos de ideais, a sexualidade e a diferenças culturas são alguns dos temas sujeitos a bloqueio na rede. Convivem mal com a liberdade dos indivíduos. A Internet contém todos os tipos de riscos que existem fora dela. Nem mais nem menos. A ética na sociedade física não é diferente da que se exige na Internet. O que temos é que estar preparados para nova dimensão da nossa vida. O que não é admissível é que se usem os falsos  pretextos da política, das ideias, do sexo ou das culturas para restringir a liberdade dos cidadãos.

 

 

António Regedor

publicado por antonio.regedor às 00:03
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 22 de Maio de 2007

ITINERANTE NA GUARDA





Mais uma biblioteca itinerante. Esta anda pelo Concelho da Guarda.


 


 

António Regedor

publicado por antonio.regedor às 23:18
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 21 de Maio de 2007

BIB2O

O blog do Julio Anjos http://bib20.janjos.com/ é o meu ponto regular de passagem e de apendizagem. Eu que tenho um enorme lastro de papel, tenho encontrado neste blog incentivo ao investimento na actualização. A migração do http://bibvirtual.blogs.sapo.pt/ para o novo layout teve incentivo do Júlio. O conhecimento faz-se por cooperação. E o Júlio e o seu blog têm sido importantes para mim. Obrigado Júlio.

 

 

António Regedor

publicado por antonio.regedor às 23:50
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Domingo, 20 de Maio de 2007

INFORMAÇÃO E MEMÓRIA




Esta é uma primeira memória.

Oblisco no Hipodromo em Istambul.

De grande tamanho e pouca informação.





Outra memória é a de 1956

Enorme disco de 5MB



Actualmente andamos com uma pequena pen, mas de grande memória.

Que surpresas teremos daqui a dez anos?



António Regedor
publicado por antonio.regedor às 00:05
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 17 de Maio de 2007

BIBLIOTECA ITINERANTE (2)

Permitam que em vez de responder singularmente ao comentário de Maria Helena, lhe dê merecido destaque.

 

 

“De maria helena a 17 de Maio de 2007 às 08:57

É sempre uma óptima ideia recordar o mais emblemático serviço prestado pela Gulbenkian, com maioria de razão neste ano em que aquela instituição comemora 50 anos de existência. Deveria ser feita, por todo o país, uma recolha de depoimentos de ex-leitores destas bibliotecas itinerantes, uma vez que - e é essa a minha experiência - em sítios e de pessoas completamente improváveis há sempre alguém que começou a ler; que se tornou "leitor compulsivo"; ou que pura e simplesmente encontrou um amigo no "Encarregado da Biblioteca". Saudades do futuro?”

 

 

Lembrar o serviço de Bibliotecas Itinerantes, no simbólico momento em que a Fundação comemora 50 anos de existência, não é exercício de saudosismo, mas afirmar o início de um serviço corajoso, inovador e coerente de difusão da leitura.

Até essa data, nunca existiu no país uma politica de leitura pública, apesar de alguns esforços legislativos na monarquia liberal,  na República e com o retrocesso cívico e cultural imposto pela legislação da ditadura.

O princípio de rede de leitura pública no país deve-se a esta primeira iniciativa  e ao seu desenvolvimento para as bibliotecas fixas. (isto será para outra conversa).  

 

 

António Regedor

música: BIBLIOTECA ITINERANTE, Gulbenkian, leitores,
publicado por antonio.regedor às 12:21
link do post | comentar | favorito
|

BIBLIOTECAS ITINERANTES









Muitos de nós ainda têm a imagem das carrinhas bibliotecas itinerantes que percorriam o país a emprestar livros.

Foi para muitos o primeiro e único contacto, mais ou menos livre, com os livros.

Hoje as itinerantes têm missões diferentes. A de complementar as redes concelhias de bibliotecas de leitura pública. A de articular as bibliotecas de leitura pública com as redes concelhias de bibliotecas escolares. A de apoiar a biblioteca de leitura pública a realizar eventos fora do edifício central, em locais ou zonas habitacionais onde ainda não existam infraestruturas de leitura pública. A de articular a biblioteca com as colectividades e associações locais. A de levar o livro a casa dos que não se podem deslocar à biblioteca ou aos seus pólos por razões de mobilidade.

 

A carrinha da imagem, foi a última que a Fundação Calouste Gulbenkian entregou a uma Biblioteca de Leitura Pública antes do seu  Serviço de Bibliotecas e Apoio à Leitura (SBAL) ter encerrado.

Em Espinho, durante algum tempo, este serviço foi assegurado pela Josefina  e pela Carla, na imagem mostrando satisfação.

 

António Regedor

publicado por antonio.regedor às 01:40
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags

.favorito

. Tanto tempo e tão pouco ...

. Rebooting Public Librarie...

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds