.posts recentes

. Livros. Àgua. Terrorist...

. Copos e livros

. Bibliotecárias a cavalo

. Desafios e mudanças nas b...

. “Irmãos de Armas”

. Pós-verdade e Michel Fouc...

. Após 60 anos . “sol de...

. 1974/24/0200

. A MINHA ESTANTE NO DIA MU...

. Mértola

.arquivos

. Junho 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Outubro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Quinta-feira, 15 de Março de 2007

BIBLIOTECÁRIOS NAS BIBLIOTECAS

Câmara de Lisboa anuncia plano de formação para funcionários das bibliotecas municipais
22.01.2007 - 18h15 Lusa
O vereador da Cultura da Câmara de Lisboa, José Amaral Lopes, anunciou hoje um plano de formação para os funcionários das 17 bibliotecas da cidade, depois de ter constatado que só 20 por cento são especialistas na área.
Entre os 265 funcionários das bibliotecas municipais, 34 por cento têm menos de dez anos de escolaridade, 21 por cento são licenciados e 15 por cento têm uma formação académica superior à licenciatura. Só dez por dos técnicos superiores têm formação específica na área, ao nível do mestrado, e entre os técnicos profissionais 20 por cento, revelou Amaral Lopes numa conferência de imprensa que revelou as conclusões de um levantamento das necessidades das bibliotecas municipais.

O autarca apresentou uma comparação com o número de técnicos das redes de bibliotecas de cidades com população semelhante à de Lisboa, ficando a capital portuguesa em último lugar, numa lista encabeçada pelas cidades de Vancouver, Helsínquia e Copenhaga.
Público 26 de Janeiro de 2007

JÁ SABÍAMOS

Foi em Janeiro que esta notícia do Jornal Público dava a conhecer que só 20% dos trabalhadores de biblioteca eram especialistas na área.
Nós os técnicos já o sabíamos.
E sabemos que não é apenas nas 17 bibliotecas da rede de bibliotecas Municipais de Lisboa.
O défice de recursos humanos especializados em ciência da informação acontece em todo o País.
Acontece nos arquivos de empresas onde se acha que arquivo é arrumar papeis condenados à eliminação.
Acontece nas Bibliotecas Municipais onde autarcas preferem os compadres aos técnicos.
Acontece nas bibliotecas escolares onde não há uma política de recrutamento de especialistas em ciência da informação.
Acontece e é pena.
Acontece até que alguém reconheça que o sucesso das bibliotecas e arquivos só é possível com o recrutamento de licenciados e pós-graduados em ciência da informação e documentação nos vários serviços das unidades de gestão documental.
Os Licenciados e pós-graduados são necessários nos serviços técnicos (descrição e análise documental), na gestão da tramitação documental( da génese ao arquivo e eliminação ou conservação permanente), nas actividades de produção e promoção cultural, no serviço de referência (que não se faz em portugal), na gestão e avaliação dos serviços de documentação.
Não basta bons edifícios, são necessários bons recursos humanos.
É necessários que nos arquivos, centros de documentação, bibliotecas universitárias, públicas e escolares estejam a trabalhar os Licenciados, os Especialistas, os Mestres em Ciências da Informação e Documentação.
Nessa altura veremos as bibliotecas a desempenhar um papel importante no desenvolvimento do País.


António Regedor
publicado por antonio.regedor às 00:21
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
Quarta-feira, 14 de Março de 2007

A ESCOLA QUE TEMOS*

Deixo um texto de Vasco Graça Moura. Se provocar reacções, tanto, melhor.


*A escola que temos não exige a muitos jovens qualquer
aproveitamento útil ou qualquer respeito da disciplina. Passa o tempo a pôr-lhes pó de talco e a mudar-lhes as fraldas até aos 17 anos. *

*Entretanto mostra-lhes com toda a solicitude que eles não
precisam de aprender nada, enquanto a televisão e outros entretenimentos tratam de submetê-los a um processo contínuo de imbecilização. *

*Se, na adolescência, se habituam a drogar-se, a roubar, a
agredir ou a cometer outros crimes, o sistema trata-os com a benignidade que a brandura dos nossos costumes considera adequadas à sua idade e lava-lhes ternurentamente o rabinho com água de colónia. *

*Ficam cientes de que podem fazer tudo o que lhes der na real gana na mais gloriosa das impunidades.*

*Não são enquadrados por autoridade de nenhuma espécie na família, nem na escola, nem na sociedade, e assim atingem a maioridade. *

*Deixou de haver serviço militar obrigatório, o que também
concorre para que cheguem à idade adulta sem qualquer espécie de aprendizagem disciplinada ou de noção cívica. *

*Vão para a universidade mal sabendo ler e escrever e muitas vezes sem sequer conhecerem as quatro operações. Saem dela sem proveito palpável. *

* Entretanto, habituam-se a passar a noite em discotecas e
noutros proficientes locais de aquisição interdisciplinar do
conhecimento, até às cinco ou seis da manhã. *

*Como não aprenderam nada digno desse nome e não têm referências identitárias, nem capacidade de elaboração intelectual, nem competência profissional, a sua contribuição visível para o progresso do país consiste no suculento gáudio de colocarem Portugal no fim de todas as tabelas. *

*Capricham em mostrar que o "bom selvagem" afinal existe e é português.*

*A sua capacidade mais desenvolvida orienta-se para coisas como o /Rock in Rio/ ou o futebol. Estas são as modalidades de participação colectiva ao seu alcance e não requerem grande esforço (do qual, aliás, estão dispensados com proficiência desde a instrução primária). *

*Contam com o extremoso apoio dos pais, absolutamente incapazes de se co-responsabilizarem por uma educação decente, mas sempre prontos a gritar aqui-d'el-rei! contra a escola, o Estado, as empresas, o gato do vizinho, seja o que for, em nome dos intangíveis rebentos. *


*Mas o futuro é risonho e é por tudo o que antecede que podemos compreender o insubstituível papel de duas figuras como José Mourinho e Luiz Felipe Scolari. *


*Mourinho tem uma imagem de autoridade friamente exercida, de disciplina, de rigor, de exigência, de experiência, de
racionalidade, de sentido do risco. Este conjunto de atributos faz ganhar jogos de futebol e forma um bloco duro e cristalino a enredomar a figura do treinador do Chelsea e o seu perfil de /condottiere/ implacável, rápido e vitorioso.
Aos portugueses não interessa a dureza do seu trabalho, mas o
facto de "ser uma máquina" capaz de apostar e ganhar, como se jogasse à roleta russa.*


*Scolari tem uma imagem de autoridade, mas temperada pela
emoção, de eficácia, mas temperada pelo nacional-porreirismo, de
experiência, mas temperada pela capacidade de improviso, de exigência, mas temperada pela compreensão afável, de sentido do risco, mas temperado por um realismo muito terra-a-terra. É uma espécie de tio, de parente próximo
que veio do Brasil e nos trata bem nas suas rábulas familiares, embora saiba o que quer nos seus objectivos profissionais. *



*Ora, depois de uns séculos de vida ligada à terra e de mais uns séculos de vida ligada ao mar, chegou a fase de as novas gerações portuguesas viverem ligadas ao ar, não por via da aviação, claro está, mas porque é no ar mais poluído que trazem e utilizam a cabeça e é dele que colhem a identidade, a comprazer-se entre a irresponsabilidade e o espectáculo. *



*E por isso mesmo, Mourinho e Scolari são os novos heróis
emblemáticos da nacionalidade, os condutores de homens que arrostam com os grandes e terríficos perigos e praticam ou organizam as grandes façanhas do peito ilustre lusitano. São eles quem faz aquilo que se gosta de ver feito, desde que não se tenha de fazê-lo pessoalmente porque dá muito trabalho. *

*Pensam pelo país, resolvem pelo país, actuam pelo país, ganham pelo país.*



* Daí as explosões de regozijo, as multidões em delírio, as
vivências mais profundas, insubordinadas e estridentes, as caras
lambuzadas de tinta verde e vermelha dos jovens portugueses. Afinal foi só para o Carnaval que a escola os preparou. Mas não para o dia seguinte.
*



* Vasco Graça Moura
publicado por antonio.regedor às 00:22
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Terça-feira, 13 de Março de 2007

PLANO NACIONAL DE LEITURA

O PLANO NACIONAL DE LEITURA, em
http://www.planonacionaldeleitura.gov.pt/ListaAreas.aspx?area=8

O Plano Nacional de Leitura tem como objectivo central elevar os níveis de literacia dos portugueses e colocar o país a par dos nossos parceiros europeus.

É uma iniciativa do Governo, da responsabilidade do Ministério da Educação, em articulação com o Ministério da Cultura e o Gabinete do Ministro dos Assuntos Parlamentares, sendo assumido como uma prioridade política.

publicado por antonio.regedor às 01:22
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 12 de Março de 2007

Colecções Digitais

Estas notas sobre Colecções Digitais são exemplos do desenvolvimento destas bibliotecas



A Biblioteca Nacional Digital, decidiu apoiar o incremento de obras em língua portuguesa na colecção do Projecto Gutenberg (livros disponíveis na Internet, de acesso gratuito).



Na Fonoteca Municipal de Lisboa estão disponíveis para consulta cerca de 3.000 títulos em diversos suportes (CD, CD-ROM, DVD, livros, partituras e periódicos).
Vai ser mantida também a pesquisa integral ao catálogo (local e on-line) e o atendimento personalizado (presencial e remoto).


O Instituto dos Arquivos Nacionais / Torre do Tombo e a Biblioteca Pública de Évora assinaram dois protocolos de colaboração. Um com a Universidade de Évora e outro com a Fundação Alentejo Terra Mãe. Ambos os protocolos visam a salvaguarda, valorização e divulgação do riquíssimo património documental da biblioteca eborense e, graças a eles, grande parte
deste espólio será digitalizada e disponibilizada na Internet.


A Fundação Alentejo Terra Mãe, que está a desenvolver o Projecto
Biblioteca Digital do Alentejo (BDA), com o objectivo de disponibilizar, via Internet fundos documentais relativos ao Alentejo, colaborará com a BPE na digitalização e divulgação da parte destes fundos existente na biblioteca.



António Regedor
publicado por antonio.regedor às 00:56
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 11 de Março de 2007

I Jornadas de Trabalho “A Gestão de Informação Na Era Digital”




Até 30 de Março decorrem as inscrições nas I Jornadas de Trabalho - “A Gestão de Informação Na Era Digital” que se realizam 19 e 20 de Abril no Salão Nobre da Junta de Freguesia de S. Martinho de Bougado –Trofa
O contacto é feito para:
ocardoso@mun-trofa.pt


António Regedor
publicado por antonio.regedor às 11:35
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 2 de Março de 2007

Dicionário Online

Boa notícia é o Dicionário de Língua Portuguesa Online da Porto Editora não precisar de registo de acesso. A consulta está mais facilitada, mais democrática.
É uma belíssima iniciativa para a promoção da literacia.

António Regedor
Fonte: http://tek.sapo.pt/4M0/723433.html
publicado por antonio.regedor às 19:57
link do post | comentar | favorito
|

PIRATARIA

Mais de 15 mil estudantes universitários norte-americanos foram acusados de fazerem download ilegal de música na Internet.
Não acham que se a música fosse vendida mais perto do seu preço real, alguém se dava ao trabalho de a copiar?


António Regedor
Fonte: http://tek.sapo.pt/4M0/724426.html
publicado por antonio.regedor às 01:02
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
26
27
28
29
30

.tags

. todas as tags

.favorito

. Tanto tempo e tão pouco ...

. Rebooting Public Librarie...

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds