.posts recentes

. Bibliotecários e Produção...

. Relógio D`água-editores L...

. Maria de Lourdes Pintasil...

. Patron Driver Adquistion

. ZOTERO

. O conceito de "UNO" em Pl...

. 25 Xulio Dia da Pátria Ga...

. Elogio ao meu amigo Gaspa...

. Portugal e a Bicicleta

. Livros proibidos

.arquivos

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Outubro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Quinta-feira, 29 de Junho de 2006

Cidadanias...

A UFP está a dar início ao seu Congresso Internacional sobre Cidadanias: discursos e práticas.
Ora aqui está um belo tema para trazer a discussão, numa vertente que, confesso a ignorância, não faço a menor ideia se vai ser ou não aboradada naquele Congresso.
Desculpem o meu mau humor, mas a questão que proponho a discussão é:

-Se sabemos que o acesso aos bens culturais/informacionais é que faz com que as pessoas sejam cidadãos informados, e, portanto, cidadãos de pleno direito em Estados Democráticos.

-Que é esse acesso que transforma o seu meio socio-cultural (e, por acréscimo económico) num meio onde vale a pena viver porque, precisamente, as pessoas são cidadãs e cidadãos e não meros instrumentos de trabalho quase escravo, cuja mente não deve ser despertada para além do circo de celebridades mais próximo.

-Se nos revoltamos quando nos informam que não podemos ouvir a música que compramos on-line noutro reprodutor que não aquele para onde fizemos o download (imaginem se o download foi feito numa biblioteca, hein? Boa! Quer ouvir música em casa?, Paciência!).

-Se sabemos isto tudo e temos consciência de muito mais, porque é que continuamos a ser complacentes (senão coniventes), com aquela camada de investigadores e intelectuais que se enfunam como velas à Nortada sempre que se lhes fala em disponibilizar numa biblioteca digital os seus doutos textos - mesmo com a garantia da utilização dos mecanismos informáticos preservadores dos direitos de propriedade intelectual . os afamados DRM?

-Porque é que não se desmascara, pelo que realmente é, a atitude "eu quero ver tudo e saber tudo o que fazes, até porque se eu te citar, tens imensa sorte; mas nem sequer me peças para ver a dissertação, que até já defendi há sei lá quantos anos, senão processo-te! Ainda me plagias..."

-Afinal, muitos desses cidadãos gritam aos quatro ventos o seu empenhamento na evolução cultural do país e da nossa investigação: "Porque são cidadãos informados e lhes pesa o atraso socio-cultural dos seus irmãos pátrios..." Faz-me lembrar aquela história infantil da "Roupa Nova do Rei".

Afinal, que cidadania é essa?



Cristina Mouta
publicado por antonio.regedor às 16:00
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Sábado, 3 de Junho de 2006

MOCHILAS E BIBLIOTECAS ESCOLARES

Quanto à necessidade de as crianças carregarem grandes mochilas de livros para a escola, gostaria de fazer alguns comentários:
Nas mochilas vão para além dos manuais, dicionários, gramáticas e outros livros de referência. Estes e outros livros que as crianças carregam na mochila, deveriam estar na escola, em bibliotecas escolares. Deveriam ser as bibliotecas escolares a possuir dicionários, gramáticas, prontuários, dicionários de verbos, enciclopédias, tabuadas, atlas, etc.
A biblioteca escolar forneceria para a sala de aula todos os documentos necessários.
Não é aceitável serem os alunos a abastecer a escola dos materiais que são da sua responsabilidade.
Bastava os autarcas reduzirem os subsídios ao futebol profissional, reduzir aos custos das fontes luminosas e passeatas para com esse dinheiro equiparem adequadamente as escolas, todas as escolas com bibliotecas.
Dessa forma também contribuíam para a melhoria da saúde das crianças.


António Regedor
publicado por antonio.regedor às 21:08
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Quinta-feira, 1 de Junho de 2006

Crianças, protestos e e-books

Hoje, dia Mundial da Criança, Santa Maria da Feira vai assistir ao protesto de um grupo de pais contra o peso excessivo que as crianças são obrigadas a carregar, todos os dias, para a escola. O peso das mochilas e pastas não deve ultrapassar 10% do peso das crianças, mas este valor é normalmente ultrapassado.
Sou defensora da aprendizagem (em qualquer altura da vida!), mas sou totalmente contra o desrespeito pelo direito ao crescimento saudável das crianças.
Por isso pergunto: porque é que as editoras, nas suas políticas de evolução e desenvolvimento, em vez de pensarem em editar manuais multimédia (interessantes e com mérito), não dão antes o salto para o futuro e, tal como já se faz noutros países, passam a editar TODOS os manuais e TODOS os materiais acompanhantes em formato electrónico num dispositivo tipo palmtop?
O preço não deve ser proibitivo, se pensarmos no preço total dos livros que os pais têm de comprar, e permite aos alunos nunca ter faltas de material sem arriscar a saúde!
Se pensarmos bem, já vamos fazendo isso com as pen-discs...
Citando o António Regedor: "como não tenho respostas, vou fazendo perguntas"


Cristina
publicado por antonio.regedor às 13:28
link do post | comentar | favorito
|

CIDADANIA(S) – CONGRESSO INTERNACIONAL SOBRE DISCURSOS E PRÁTICAS

A UNIVERDIDADE FERNANDO PESSOA
Organiza um Congresso sobre: CIDADANIA(S) – CONGRESSO INTERNACIONAL SOBRE DISCURSOS E PRÁTICAS
Será a 29 e 30 de Junho e 1 de Julho de 2006
No dia 29 às 13 horas está prevista uma comunicação com o tema: Bibliotecas e Cidadania.
Será apresentada pela Professora Judite de Freitas e pelo Dr. António Regedor
Podem ter mais informação em: www.ufp.pt
publicado por antonio.regedor às 12:41
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags

.favorito

. Tanto tempo e tão pouco ...

. Rebooting Public Librarie...

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds