.posts recentes

. Bibliotecas da Rede Gulb...

. Três possíveis razões pa...

. O histórico fracasso port...

. As bibliotecas no Estado ...

. Bibliotecas na República

. O Liberalismo e as biblio...

. Bibliotecas. Da esfera pr...

. Políticas culturais, de i...

. O cântico dos cânticos.

. Bibliotecas, Mortas ou Vi...

.arquivos

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Outubro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Quinta-feira, 30 de Novembro de 2017

A referência bibliográfica

images.jpg

Imagem: onomastikos. Do Grego. Acto de nomear, dar nome, estudo dos nomes próprios, ciência dos nomes. Onomástico é também em biblioteconomia o catálogo pincipal, catálogo de   autores e obras anónimas. 

 

 

 

 

Sabemos da existência de normas ISO para oa mais diversos produtos.

Também para as referências bibliográficas  há normas ISO. Estão  traduzidas para utilização nos vários países,  e também para Portugal nas Norma Portuguesas.  A NP 405-1 para documentos impressos ; NP 405-2  para material não livro; NP 405-3  para documentos não publicados;  e NP 405-4 para documentos electrónicos. 

De acordo com a NP 405-1 e de modo muito simples, as referências bibliográficas devem ter: APELIDO, Nome – Título. Local de Edição: Editor, data de edição. ISBN.  

Sim, desta forma, e com a pontuação indicada.

Há outra forma de referência, prevista também na NP-405, para corresponder aos textos científicos com citação denominada Autor (data) ou Autor (data: pag.).   Neste caso a referência será:

APELIDO, Nome (data) Título.  Local de edição: Editor. ISBN . Apesar deste último elemento (ISBN), por ser mais recente na tradição da referência, quase nunca aparecer. 

No caso de ser uma contribuição  numa outra publicação apresenta-se da seguinte forma:   APELIDO, Nome – Título. In APELIDO, Nome – Título. Local de Edição: Editor, data de edição. ISBN. 

Um artigo numa revista: Autor – Título. Revista. Local. ISSN. Vol. : nº (data) p. páginas.

No caso de artigos de jornais assinados: Autor - título. Jornal (data)

Artigo de jornal não assinado: Título. Título do periódico, data. Pagina.

Tese, dissertações, trabalhos académicos: Autor – Título. Local de edição: Editor, data.  Tese, disertação, ou outra.

A  NP 405-2  é destinada a material icónico (cartazes, gravuras, postais) filmes, microfilmes e microfichas multimédia, discos e cassetes, diapositivos, transparências,  brinquedos e modelos.  Segue o mesmo princípio e acrescenta a descrição física do documento referido.  Autors – Título [tipo de documento]. Local:Editor, ano, Descrição física.

Alguns Exemplos:

Gravura

GUIMARÃES, José de  - La tentation. [Documento icónico]. [Balaia: Club Méditerranée], 1987. 1 gravura: serigrafia, color. ; 70x100cm. Assin. E data a lápis preto no canto inf. Direito. Prova não comercial de uma tiragem de 99.

Postal

“Lord Byron”[Documento icónico]: “1788-1824”. Litografiade LopesJúnior. [Lisboa]: Biblioteca Nacional, 1989. 1 postal: p&b; 15x10 cm.

Filme

As pinturas do meu irmão Júlio [Filme]. Realização, fotografia, montagem e produção Manoelde Oliveira; poemas e comentários José Régio. Lisboa: ICALP, 1965. 1 filme em bobona (15 min): color., son. ; 16 mm.  Som: Abreu de Oliveira. Música: Carlos Paredes.

CD

DEBUSSY, Claud – Prélude à l’après-midi d’un faune; Nocturne; La mer. Orchestre de la Suisse Romande; Armin Jordan, dir. [S.l.]: Erato, f. 1991. 1 disco (CD).

Objecto

“Bébé Eunuco”. [Objecto]. Alicante: Famosa, [1988]. 1 boneca (pijama, babete, vestido, touca e biberão): borracha e tecido, color. ; 30x12x9 cm. Famosa: 81591

Para os documentos não publicados é indicada  a NP 405-3 e aplica-se a cartas, ofícios, circulares, manuscritos, música manuscrita. Deve aplicar-se as normas gerais das NP 405-1  e NP 405-2  e ainda dar nota de que tipo de documento se trata e qual a sua acessibilidade (onde se encontra).

Alguns Exemplos:

Cartas

VISEU. Câmara Municipal. Ofício nº 2362. 1988-02-22. Acessívelna AssociaçãoPortuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas, Coimbra, Portugal

Manuscrito

PIMENTA, Belisário – Os Batalhões Académicos de Coimbra[manuscrito]. [1925]. Acessível na Biblioteca Geral da universidade, Coimbra, Portugal. Ms. 3058.

Material Cartográfico

PLANTA Geral do Hospital de Lamego. Escala 1:2000. [1892?]. 1 planta. Acessível na Biblioteca Central da Fauldade de Medicina. Coimbra. Portugal. APH-3-1.

 

 

 

Finalmente a NP 405-4 trata da referência para documentos electrónicos. Aplica-se a livros electrónicos, bases de dados, programas, revistas, artigos e outras publicações electrónicas, a news groups, lists de discussão e mensagens. O formato é idêntico ao usado para os documentos impressos, acrencentando a seguir  ao título a menção [em linha]. A seguir aos elementos de  publicação é colocada a data de actualização quando ela se verificar. Sege-se a data de consulta e no final a disponibilidade e acesso.  Para um livro em linha a referência pode ser:

Autor – título [em linha] Local de publicação: Editor, data. [daat da consulta] a disponibilidade com a menção: disponível em WWW: URL: http://www................

 

António Borges Regedor

publicado por antonio.regedor às 21:36
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
16
17
18
22
23
24
25
26
27
28

.tags

. todas as tags

.favorito

. Tanto tempo e tão pouco ...

. Rebooting Public Librarie...

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds